Notas do tempo

Caixa de sapatos virtual

A dança dos cabelos

verso4Embora, quase sempre sem coragem para encará-lo, outra vez me deparo como a austera imagem do meu avô, cujas sobrancelhas negras e bigodes retorcidos resistem às investidas do tempo e das traças, que insistem em roer estas memórias às quais, sem outra alternativa, me entrego. Até que a forte dor de cabeça, que cotidianamente me persegue, me impeça de prosseguir em minhas divagações e neste ruminar que é o existir. Quando então, já com os olhos pesados e o xale sobre os ombros, guardo na gaveta este álbum que me acompanha e vou até a cozinha onde esquento o chá ou faço um pouco de café com leite. E mesmo que eu queira, ou tente desviar o meu pensamento para lembranças mais amenas, não tenho como deixar de pensar em você, minha filha querida.
(Carlos Herculano Lopes, A dança dos cabelos, p.17)

Para saber sobre o livro e o autor, clica aqui http://goo.gl/JjjbK2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 4 de julho de 2014 por em Livros, Sem categoria e marcado .
%d blogueiros gostam disto: